Páginas

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Tarde Vazia

(Gustavo Machado)

Tardes vazias, vivi sem ti
e manhãs pensativas
que me atormentavam a cabeça
que me preocupavam
e dilaceravam meu estado
humano de querer sempre
contemplar a maior beleza de todas:
o amor que sinto por ti

E me revirei por entre
as folhas de caderno
o meu lápis rabiscava
sem sentido, o meu estado
sofria, sofria irremediavelmente
por não te ter naquele dia

Vinha angústia, desespero
saudade, tudo me perturbava
seu olhar estava em meus olhos,
e, em qualquer outra pessoa,
sua imagem, apenas, me aparecia

Triste e solitário foi meu dia
eu estava cansado de não fazer nada
queria sempre te ver
te admirar
e tua boca beijar

Tocar meus lábios nos teus
e abraçar-te firmemente
pra que o vazio se tornasse
ausente

Nenhum comentário:

Postar um comentário